phone azul bebe (21)2567-3730       (21)2284-8883        (21)99436-3851 whatsapp icon

Escapamento

O escapamento é o equipamento responsável pela eliminação dos gases residuais quentes do motor e pela redução dos níveis de ruídos gerados pelos gases queimados na combustão.

É aconselhável a troca do escapamento quando o veículo apresentar elevação nos níveis ruídos, aquecimento do assoalho e vazamentos ocasionados por rupturas, trincas ou furos devido à fadiga, desgaste ou corrosão do produto.

Em condições normais de uso, os escapamentos reduzem a poluição sonora e mantêm o bom desempenho do motor dos veículos.

Isso acontece porque o sistema de exaustão automotivo é um conjunto de canos e abafadores (caixas com miolo) que conduz os gases produzidos pela queima de combustível do motor para fora do veículo, evitando que substâncias nocivas à saúde dos passageiros entrem no interior do automóvel e, consequentemente, também eliminando o ruído.

Por essas importantes funções, os sistemas de exaustão automotivos são produzidos dentro das mais criteriosas normas técnicas e de rigorosos padrões de qualidade.

Como o sistema de exaustão automotivo funciona?

Formado por quatro partes – conjunto dianteiro (cano do motor), conversor catalítico ou catalisador, conjunto intermediário (silencioso intermediário) e conjunto traseiro (silencioso traseiro) –, o sistema de exaustão automotivo colabora com a vida útil do motor, libera os gases resultantes da combustão, reduz os ruídos e a emissão de poluentes e ainda promove uma maior economia do combustível utilizado.

De acordo com o fabricante de cada veículo, o projeto do escapamento é definido com base nessa configuração, adequando os conjuntos e o catalisador aos espaços no assoalho já pré-definidos em cada modelo de automóvel.

Qual parte precisa ser trocada?

Como o sistema de exaustão de um veículo possui partes distintas, a reposição é feita com a troca da peça danificada ou “podre”, de acordo com a sua localização no assoalho do carro.

Entenda melhor a função de cada parte:

• Conjunto dianteiro (cano do motor)
Constituído por tubos ligados diretamente no motor do carro, o conjunto dianteiro fica posicionado antes do catalisador e trabalha em altas temperaturas. Produzido em aço inoxidável, esse componente possui uma maior resistência contra corrosão, evitando o entupimento do catalisador.

• Conversor catalítico ou catalisador
Componente obrigatório por lei, o catalisador transforma gases tóxicos em gases inofensivos à saúde e ao meio ambiente. Por meio de reações químicas, essa peça recebe os gases nocivos derivados do motor e, em seu interior, essas mesmas substâncias reagem com outros produtos químicos, ocasionando a transformação em gases inofensivos. Efetuada essa reação, os gases resultantes seguem pelo restante do sistema de exaustão do veículo na forma de vapor d´água, nitrogênio e gás carbônico.

• Conjunto intermediário (silencioso intermediário)
Esse componente tem a função de eliminar os ruídos de alta frequência, colaborando para a economia de combustível. O processo ocorre no chamado sistema de reflexão, permitindo que os gases e as ondas sonoras passem por câmaras metálicas e por tubos perfurados no interior do silencioso intermediário.

• Conjunto traseiro (silencioso traseiro)
Ao eliminar os ruídos de baixa frequência, o silencioso traseiro utiliza o sistema de absorção, no qual tubos perfurados são envolvidos em lã de vidro ou lã de rocha, que são materiais próprios para absorverem os ruídos.

Quando trocar?

É recomendável checar o sistema de exaustão quando o proprietário sentir que o veículo está com baixo rendimento (“amarrado”) ou consumindo combustível em excesso e também quando perceber alterações no ruído vindo do escapamento, como sons estridentes, ressonâncias ao trocar as marchas, sopros de gases, chocalhos no catalisador, entre outras. Caso o problema não seja detectado e solucionado rapidamente poderá causar danos em outras peças que não estão com defeito.

Se o proprietário notar que o escapamento do seu carro está com marcas apodrecidas – mesmo que não haja alteração no ruído –, será necessária a troca do componente danificado, uma vez que na Inspeção Ambiental Veicular (Controlar) o automóvel poderá ser reprovado. Outros exemplos envolvem o rompimento do escapamento – mediante o vazamento de gases, que leva a um desvio do fluxo dessas sustâncias, afetando o nível do ruído – e o consumo do automóvel por meio da alteração da taxa de contrapressão de trabalho do motor.

Muitas vezes também é necessário substituir ou realinhar a peça danificada quando acontece vibração no automóvel, proveniente do contato do escapamento com a estrutura da carroceria. Isso ocorre geralmente em função de defeito de roteiro ou de escapamentos mal instalados.


Big Alinhamento - Multimarcas de Pneus
Av. Maracanã 676 - Tijuca - Rio de Janeiro